Assisti ao belo Ingrid goes West. Gostei, mas fiquei com a sensação que já tinha visto a história. Não estava errado. É mais uma história de roubo de identidade motivada por inveja.

Até os beats são os mesmos. "Vítima" privilegiada é emboscada por "agressor(a)" invejoso que se finge de amig@. Assim que consegue se aproximar e se beneficiar dos seus privilégios, o "amig@" é bloquead@ por alguém que percebe o seu embuste. O conflito escala e temos a conclusão.

A diferença entre Ripley, Ingrid, A Malvada e Mulher Solteira Procura é como isso termina. Quem usurpou a identidade vence? Ou é punido pela sua inveja?

Isso em nada desmerece o filme. Pelo contrário, só mostra como é possível contar a mesma história de maneiras diferentes e com criatividade. Afinal, quantas histórias diferentes existem? Rouba-las não é sinal de inveja; é apenas inevitável.