2019.01.09

Comprovando a minha teoria da renovação de 15/20 anos, a Globo tira do ar o Vídeo Show, após duas longas rodadas. Afinal, a Internet e as outras emissoras tem cumprido, com muito mais sensacionalismo, o papel de comunicação institucional da emissora. Porém, ainda acho que a participação da Sophia Abrahão adiantou e muito o processo de degeneração do programa.

Quando ela começou a aparecer, substituindo o Otaviano Costa e o Joaquim Lopes, a sua falta de desenvoltura, que aboliu a bancada e transformou o programa numa MTV pra gente velha, foi o beijo da morte do programa que não soube se renovar.



Próximas bolas da vez: Faustão, já cansado e sem nada de novo a trazer, quase completando 40 anos; Ana Maria Braga, cada vez mais desassociada da realidade; e o Luciano Huck, com outras ambições fora do entretenimento.

A área de jornalismo, nas pequenas mudanças, mostra seu descontentamento com a situação nacional. Aumentou o tempo dos jornais locais, focando em serviço, e diminui o noticiário nacional para evitar dar palanque pro atual governo. Pode funcionar, mas, com as redes sociais, essa estratégia tem alto risco.



Gostem ou não gostem da Rede Globo e seu veículos associados, mas é impossível negar a sua importância. O modelo da Record não é substituto a altura. Simplesmente faz o mesmo tipo de conteúdo pasteurizado para um público que se finge diferente mas quer as mesmas coisas. A mudança não virá desse conflito. Algo diferente que ainda não sabemos bem o que irá dançar nos túmulos das duas. Talvez não agora, mas já está no horizonte essa mudança.



Mas posso me surpreender, o que sempre é algo positivo. Ou não.



O que foi o episódio 5 da 3a. Temporada de Mr. Robot? Ainda tem muito a rolar nessa era de ouro da TV.



Novos contratos fechando mas a movimentação no calor do Rio torna tudo mais doloroso. Mas, ao mesmo tempo, heróico.



Tem vantagens em falarmos do tempo.