2019.01.04

Resolvi participar de um desafio de fotografia de 52 semanas. Primeira missão: um auto retrato onde não apareça o meu rosto. A dúvida fica: quem sou ou quem desejo ser?



Um calor dos diabos. Me peguei dormindo pelos cantos a cada momento em que ficava dois minutos parados. Um futuro de tragédia climática não será um filme de ação, mas uma performance letárgica. Taí uma boa história. As pessoas ficam congeladas dormindo até ocorrerem os breves momentos de tempo ameno quando podem se encontrar, esperando o dia em que o clima se regularize.



Como dizia o Nelson Ned: "Mas tudo passa, tudo passará!"



Fim de tarde e início e fim de noite com amigos incríveis num piscinão na laje chic. Boa música, bons papos e uma sensação de união sem pressa que há muito não sentia. Óbvio, no dia seguinte pagaremos o preço dessa benesse. A idade é uma coisa.