2018.12.30

Às vezes, quando assisto a uns filmes antigos, vejo claramente como poderiam ser adaptados, sem necessidade, ao modelo de tv/streaming seriado que temos hoje. Será que esse excesso de conflito e extensão contribuem pra qualidade da obra ou é só uma maneira de monopolizar mais a nossa atenção e vende-la a anunciantes?



Me pergunto se esse excesso de ficção não será tratado como uma doença em breve. Falta pouco pra aparecer um novo Cromwell e fechar nossos teatros virtuais.



Tenho uma grande satisfação em observar as pessoas. Analisar seus movimentos; ouvir seus lamentos e bazófias. Perceber suas intenções ocultas; me surpreender quando estou errado e tentar convence-las de que estava certo. Os reality shows não chegam nem perto do zoológico humano que é a porta do botequim.

Como dizia Mussum, botequim é televisão de malandro.