Lisandro Gaertner

Decadence avec élégance

2019.05.18

Finalmente entreguei a escaleta das Voluntárias. Fica cada vez mais claro pra mim que não consigo trabalhar a prestação. Sento pra fazer algo e quero ir até o fim. Nunca serei um romancista se não aprender a lidar com isso. Preciso saber como deixar as coisas pela metade. Maldita necessidade de closura.



Perdendo a minha tarde, colocando e-mails e feeds em dia. Essa fixação com inbox zero é um problema.



Terminamos de assistir Cobra Kai. É óbvia e melodramática, mas bem intencionada. Isso não significa que seja ruim. Acho que há lugar pra tudo que é feito com carinho. Dá pra sentir o que move os autores e as equipes. É uma questão de amor e fé fazer algo com ressonância. Só isso basta pra gerar essa empatia, mas, óbvio, não garante qualidade.

2019.05.17

Não há coisa pior pra Carioca que chuva. A cidade não está preparada, as pessoas não sabem andar de guarda chuva, os motoristas se desesperam. Somos óleo e não nos damos com água, a não ser com a do mar como os acidentes ambientais mostram.



Acho que finalmente achei um lugar bom pra trabalhar fora de casa. Wi-Fi, ar condicionado, a 10 minutos de casa e com boa seleção de chás. Só não posso contar. Sabe como é? O lugar é pequeno e farinha pouca...



Saindo de uma reunião acabei batendo um papo com um cara aleatório que acabou se interessando pelo meu trabalho e pediu uma proposta. Doido como essas coincidências acontecem.


2019.05.16

Foi só eu falar pra que a vizinha começasse a martelar toda a casa, como se tivesse extraindo dentes de siso da casa. Não dá pra gente elogiar mesmo.



Uma luta encontrar alguém que conserte uma televisão de tubo. Vamos ver se hoje consigo reativar meu VHS.



Num outro apartamento alguém toca bateria. Deve ser algum tipo de sinal da 4a. dimensão: Sai de casa!



A TV não tinha jeito e acabaram me oferecendo uma troca. Aceitei. Pelo preço do conserto não podia dizer não.



Enquanto espero a volta das minhas séries, continuo com Succession. Realmente bem escrita e com belas atuações. Além disso tem uma estrutura não aparente, mas bem malandra. Como disse, do jeito que eu gosto, quase um teatro filmado.

2019.05.15

Foi bonito ver o povo mobilizado em prol da educação. É espantoso o desmanche que está sendo feito das instituições. Queria ter participado, mas outro desses problemas causados pela política, a.k.a. desemprego, me impediu de tomar parte.



Foi até engraçado estar na Escola Superior de Guerra enquanto a população marchava pelas ruas. Estava, acreditem ou não, na minha luta pessoal pra melhorar a educação. Nesse caso a empresarial.



Veep não decolou pra mim. Entendo os méritos e a qualidade, mas é questão de gosto. Acabei emburacando em Succession e já fui fisgado. Todo aqueles temas clássicos, famílias disfuncionais, diálogos brilhantes e atuações soberbas são irresistíveis. Acho que na verdade eu sinto saudades mesmo é de teleteatro.



É surpreendente como Adam McKay e Will Ferrell estão produzindo coisas boas pra TV. Dead to me é deles também.



Ontem começou a obra da vizinha de cima. Até agora não foi grandes problemas. Normalmente quando as pessoas te avisam parece que pegam mais leve.

2019.05.14

Tive um sonho tropicalizando o velho dilema do Assassinato do Hitler bebê, mas passado num hotel fazenda com um professor universitário traumatizado como o pretenso herói e um pastiche da atual figura política da nação no papel do carrasco do século XX. Agora esbarro num artigo sobre como resolver essa questão filosófica. Vou ser obrigado a escrever.



Dia inteiro no RHRio2019, vendendo as soluções da Networker em um estande. Me acostumei a vender. Faz parte do jogo da sobrevivência. Só queria que estivesse mais fácil fechar uns contratos.



Tô com as minhas séries quase zeradas. Pensando em dar um tempo em tanta informação audiovisual. Queria ter a paz de espírito e segurança financeira para deitar numa praia qualquer e ler pockets sobre aeromoças.



É quase um crime não ter altas ambições. Domingo minha mãe inclusive mencionou a minha falta de vaidade. É um fato. E um pecado às avessas.

2019.05.13

Encerrei Curb Your Enthusiasm e acabei de descobrir que estão filmando mais uma temporada. Não me incomodo de assistir a mais um pouco de Larry David.



Retomei American Gods e The Man in the High Castle. A melhor comparação que posso fazer entre os originals da Netflix e da Amazon é a seguinte: a Netflix erra menos, mas a Amazon acerta mais.

Dá pra entender?



American Gods ganhou um plot tolo mas aproveitou bem o universo do Gaiman. Já The Man in the High Castle melhorou substancialmente do meio da temporada pra cá. Faz jus ao material original e compensa as deficiências do Philip K. Dick.



Sim, não tenho vergonha de gostar de pessoas que tem defeitos. Nem de obras ou seus/suas criador@s.



Se bem que alguns são quase perfeitos. Burgess, Dorothy Parker, Crumb, Vonnegut são alguns exemplos. Mas tem outros. Muitos mesmo.

2019.05.12

Maratona de bobeiras na TV. Namorada de Aluguel. Minha mãe é uma sereia. Pequenos filmes comerciais, mas repletos de artesanato. Hoje fazemos bolos de caixa e as pessoas só querem comer isso.



Espantoso que a mais normal na vida real da família de Minha Mãe é uma Sereia acabou sendo a Cher.



Um belo dia das mães. Cozinhei pra minha. A Alícia deu seus presentes pra mãe e pra vovó. E ainda encontramos amigos que há muito não víamos.

Apesar das dificuldades que vivemos estamos juntos e isso é o que importa.



Menos um episódio para o fim de Game of Thrones. Entendo a frustração do povo, mas confiaram num pantser, achando que iam receber plot.

Tolinhos...